Comprar CNH: Evite esse crime!

Comprar CNH é um perigo, pois acaba colocando em risco a vida de muitas pessoas que fazem parte do trânsito, seja como motoristas, passageiros, ciclistas ou pedestres.

Infelizmente, a falsificação de documentos é um crime bastante recorrente em nosso país e entre essas falsificações, a CNH é um dos serviços mais oferecidos e também procurados.

Isso ocorre, pois muitas pessoas que já sabem dirigir acreditam que a os processos burocráticos da autoescola são desnecessários ou ainda tem medo de passar pelos testes teóricos e exames físicos e psicológicos. Por isso, preferem optar por essa prática ilegal.

Em relação a CNH, é possível encontrar diversos anúncios em sites e nas redes sociais prometendo a emissão da CNH sem passar pela autoescola e processos exigidos pelo Departamento Estadual de Trânsito (DETRAN).

Muitas vezes, esses serviços são oferecidos à distância e a pessoa precisa mandar cópia de seus documentos para o estelionatário.

Este é outro risco bastante sério, pois você está colocando nas mãos de uma pessoa de má índole os dados de seus documentos, o que favorece o risco a golpes no ramo financeiro.

Os falsificadores costumam garantir que o documento não é possível de identificar com sendo falso e chegam a cobrar uma média de R$ 1.500 por uma CNH falsificada.

Ao comprar CNH, a pessoa não cumpri todas as etapas e testes de avaliação física e psicológica exigidos pelo Departamento Estadual de Trânsito (DETRAN).

Ao não passar pelo processo de retirada da primeira habilitação, não vai conhecer a legislação de trânsito, ter noção de direção defensiva, primeiros socorros e entre outros assuntos abordados nas aulas teóricas como deveria.

Com isso, a certeza é que o motorista não vai está preparado como condiz às leis de trânsito para dirigir um veículo.

comprar CNH

O que acontece se a pessoa for autuada com CNH falsa?


A pessoa que adquiri uma carteira de habilitação falsa pode responder criminalmente por isso, bem como todos os envolvidos no processo de falsificação.

Ainda que a falsificação seja muito bem feita, a Polícia Rodoviária Federal (PRF) tem meios próprios e técnicas para reconhecer documentos falsificados.

Além disso, as autoridades de trânsito fazem fiscalizações periódicas nas autoescolas para evitar esse tipo de fraude.

Em muitos estados, o DETRAN já passou a usar o sistema de biometria para evitar fraudes na CNH.

Ao ser pego com uma CNH falsa, o motorista é autuado no Art. 297 do Código Penal, que diz que falsificar, seja no todo ou em parte, documento público ou fazer alteração de documento público verdadeiro é passível de pena de dois a seis anos de reclusão e multa.

Se a pessoa for servidor público e usar de falsificação para se prevalecer do cargo, a pena aumenta em seis vezes.

Fraude pode ser identificada na hora da renovação


A CNH possui validade de cinco anos e na hora da renovação é muito provável que o DETRAN identifique a fraude.

Isso porque, o perfil do motorista e suas informações pessoais, como dados da autoescola, endereço, cidade e etc. vão ser consultadas e nessa análise é provável se haver a identificação da fraude.

Se houver suspeitas de fraudes, o condutor é chamado para prestar esclarecimento e vai precisar comprovar que não comprou sua habilitação para dirigir.

Se não conseguir fazer a comprovação que não envolvido em fraude, a CNH é cancelada.

Por isso, a melhor opção é sempre para tirar a carteira de habilitação é agir conforme a lei e seguir todas as etapas do Centro de Formação de Condutores.

Comprar CNH é um negócio arriscado tanto por conta das implicações legais quanto pelos perigos de dirigir sem ser capacitado para isso, o que aumenta o risco de acidentes no trânsito.

Vale a pena ler também: